sexta-feira, 28 de março de 2008

EDSON LUIS :PRESENTE!!!!

Edson nasceu no dia 24 de fevereiro de 1950, em Belém, no Pará. O filho de Maria de Belém de Lima Souto era de família muito pobre e começou seus estudos primários na Escola Estadual Augusto Meira, em sua cidade natal. Mudou-se para o Rio de Janeiro e prosseguiu seus estudos secundários no Instituto Cooperativo de Ensino, que funcionava no tradiconal restaurante carioca Calabouço.

Edson foi assassinado a queima roupa durante a repressão policial da ditadura utilizada para desalojar os estudantes que haviam ocupado o Calabouço no dia 28 de março de 1968.

O corpo de Edson, baleado não chegou a ir para o IML. Foi levado imediatamente por estudantes para a Assembléia Legislativa. A necrópsia foi feita no próprio local do velório, pelos Drs. Nilo Ramos de Assis e Ivan Nogueira Bastos, na presença do Secretário de Saúde do Estado. Seu óbito de n. 16.982 teve como declarante o estudante Mário Peixoto de Souza.

O registro de Ocorrência n. 917 da 3ª D.P. informou que, no tiroteio ocorrido no Restaurante Calabouço, outras seis pessoas ficaram feridas, sendo atendidas no Hospital Souza Aguiar. Foram elas: Telmo Matos Henriques, Benedito Frazão Dutra (que veio a falecer, logo depois), Antônio Inácio de Paulo, Walmir Gilberto Bittencourt, Olavo de Souza Nascimento e Francisco Dias Pinto.

Outras três pessoas foram feridas na Praça Floriano, durante o velório de Edson Luiz, realizado na Assembléia Legislativa, são elas: Jouber Valan, João Silva Costa e Henrique Rego Carnel, também atendidos no Hospital Souza Aguiar.

O corpo de Edson Luiz foi levado por milhares de estudantes em passeata até o Cemitério São João Batista. O fato marcou a luta de resitência à ditadura sob o slong ''um estudante foi assassinado, ele poderia ser seu filho!'' e inspirou as centenas de grandes manifestações que ocorreram até a redemocratização do país com as eleições diretas de 1989.

Um comentário:

henos disse...

Bem Rodrigo!
Edson Luis, é um dos grandes heróis do Movimento Estudantil brasileiro e paraense, e neste 28 de Março, 40 anos após seu brutal assassinato, pelo aparelho de repressão do Estado em tempos obscuros de nossa história, nós estudantes paraenses estamos de volta às grandes manifestações, buscando mais qualidade pra nossa educação, nossas sedes estudantis da UAP e da UECSP, que foram tiradas da mesma forma que a vida do nosso camarada EDSON LUIS.
A luta dos estudantes está de volta as ruas do nosso Brasil, do nosso Estado e de nossa Belém.
Edson Luis, PRESENTE.
Henos Silva - Presidente da União Acadêmica Paraense.